SEMPRE BRIOSA

Briosa... se jogasses no céu, morreria só para te ver jogar!

sábado, 30 de abril de 2005

GRANDE BRIOSA!

Briosa, 1 - Boavista, 0


Boa exibição, grande vitória e melhor sequência de jogos da Superliga (11) sem derrotas, para além da manutenção assegurada.

Bravo Nelo Vingada, grandes jogadores e uma direcção de parabéns!

Temos BRIOSA!

domingo, 24 de abril de 2005

O QUE A IMPRENSA DIZ

Sobre o empate ontem arrancado no sempre difícil Estádio de Alvalade:

MAISFUTEBOL

Os «leões» criaram muitas oportunidades, mas os «estudantes» foram muito sólidos nas missões defensivas e ainda criaram alguns lances de perigo. A Académica vai no décimo jogo sem perder e confirma a excelente recuperação levada a cabo nas últimas jornadas.

O JOGO

O problema dos lisboetas residia, basicamente, na incapacidade de perfuração da muralha "estudantil", que mais fortalecida ficou quando Nelo Vingada viu chegados os momentos de apostar tudo no pontinho - por alguma razão não perde há dez jogos -, com as entradas do trinco Andrade (80') e do central Danilo (88'), numa altura em que até Beto já gravitava na zona de grande área da "Briosa"...

RECORD

A equipa de Peseiro dominou mas não fez golos, frente a um adversário que elegeu o contra-ataque para tentar surpreender. Polga foi expulso já depois da hora, no décimo jogo sem perder da Briosa de Nelo Vingada

CORREIO DA MANHÃ

O Sporting, jogando em 4x3x3, lançou-se desde o início na procura do golo, perante uma Académica em 4x4x2, muito bem organizada, que chegava a Alvalade invicta há nove jogos.

DIÁRIO DE NOTÍCIAS

O Sporting, jogando em 4x3x3, lançou-se desde o início na procura do golo, perante uma Académica em 4x4x2, muito bem organizada, que chegava a Alvalade invicta há nove jogos.

DEZ!



Sporting, 0 - ACADÉMICA, 0

10 (DEZ) jogos sem perder!

Num jogo pobre em termos técnicos, o Sporting teve muitas dificuldades para furar o sistema táctico idealizado pelo nosso técnico, Nelo Vingada.

O domínio da posse de bola pertenceu maioriatariamente à equipa da casa, mas os leões não materializaram essa supremacia. Liedson e Pinilla desperdiçaram cada um pelo menos duas claras oportunidades de golo, mas os nossos homens da defesa estiveram verdadeiramente brilhantes!

Por seu lado, no contra-ataque até podíamos ter marcado em algumas ocasiões. Num desses momentos, já nos períodos de descontos, até Polga acabou por ser expulso da partida, fruto da inquietação e da intranquilidade que se vivia na equipa leonina.

Aliás, maior audácia ter-nos-ia dado os 3 pontos, estou convicto, mas este empate no terreno de quem luta pelo título já é óptimo.

Face ao que se presenciou, o resultado aceita-se, continuando nós a trilhar uma recta final de sucesso: DEZ jogos sem perder!

Parabéns rapazes! Parabéns Nelo Vingada!

terça-feira, 19 de abril de 2005

PARA ALVALADE

Tixier que foi expulso no encontro com o Penafiel já nos instantes finais, vai ser uma das ausências na deslocação a Alvalade, no sábadO.

Além do trinco, que cumprirá um jogo de castigo, os lesionados Nuno Piloto e Rodolfo também não vão poder alinhar em Alvalade.

Entretanto, Sarmento – que está no estágio da Selecção Sub-20 – será o único ausente no regresso ao trabalho dos estudantes marcado para esta tarde (16 horas), na Academia Briosa XXI.

Para amanhã está agendada mais uma sessão, desta feita no Estádio Cidade de Coimbra.

segunda-feira, 18 de abril de 2005

AINDA O JOGO DE ONTEM

Considerações de NELO VINGADA:

"Foi uma vitória muito importante"
"Quando se ganha por 4-1, dificilmente se pode contestar a justiça do resultado. Na primeira parte, tivemos a felicidade que nos faltou noutras ocasiões, mas, quando estávamos no nosso melhor período, o Penafiel marcou e valeu-nos o terceiro golo."
"Nem o Penafiel jogou tão mal, nem a Académica tão bem para um resultado destes. Há muito tempo, desde que estava no Zamalek, que não vivia uns últimos minutos tão tranquilos."

COMPETÊNCIA!



Estar 9 (nove!) jogos consecutivos sem sofrer uma única derrota, sobretudo numa fase em que todas as partidas são autênticas finais e onde o empenhamento dos adversários é logicamente maior, NELO VINGADA tem provado cabalmente a sua competência e a sua capacidade para abraçar projectos e desafios difíceis.
Só lamento que não esteja connosco desde o início da Superliga...

PRÓXIMO JOGO!

Dário já a pensar no próximo jogo, com o Sporting:

"Dediquei o golo a Joeano (suplente), pois a esposa dele está internada e a passar um momento delicado. Mas o que interessa é que ganhámos. Agora, em Alvalade, vamos tentar fazer o melhor e pontuar, claro está!"

ACADÉMICA,4 - PENAFIEL,1

Crónica Jornal RECORD:

Aposta Vingada num estilo muito à italiana

A Briosa é cínica, defende bem e dá a iniciativa de jogo ao adversário. Depois é só aproveitar o contra-ataque e ser eficaz na finalização

Quem olhar para os números com que a Académica venceu ontem o Penafiel não terá dúvidas. Por norma, um resultado de 4-1 significa uma supremacia avassaladora do vencedor, mas os números também enganam. Num estilo digno da velha escola italiana, a Briosa voltou a mostrar os argumentos impostos por Nelo Vingada, que lhe valem não perder há dez partidas e ter passado de condenado a praticamente a salvo da descida.

Em sete remates à baliza, a equipa de Coimbra conseguiu quatro golos, uma eficácia digna de fazer inveja a qualquer equipa. A Académica não corre riscos a defender e só ataca pela certa. O Penafiel caiu na armadilha e saiu de Coimbra com uma pesada derrota, num jogo em que a posse de bola dos visitantes terá por certo andado acima dos 70 (!) por cento.

Nelo Vingada manteve o esquema da jornada anterior, com uma linha de três unidades móveis na frente. Do outro lado, Luís Castro assentou a estratégia num meio-campo povoado, à procura de ganhar a luta no miolo. Aos 9' percebeu-se que a sorte estava do lado dos estudantes. Clayton quase marcou e na jogada seguinte Marcel aproveita um erro de marcação para inaugurar o marcador, numa altura em que ninguém tinha feito nada para justificar a vantagem.

Apanhando-se a ganhar, a Briosa não arrisca. Deu a iniciativa de jogo ao adversário, que sentia dificuldades em traduzir o domínio no jogo em oportunidades de perigo. Já em período de compensação, e num contra-ataque (tinha de ser), a Académica ampliou a vantagem, num "frango" monumental de Nuno Santos, que nunca mais se recompôs de um erro digno de figurar nos habituais álbuns anuais de apanhados.

O Penafiel ainda conseguiu reduzir no segundo tempo, mas o facto de arriscar de forma desenfreada em busca do empate revelou-se um suicídio. Luís Castro apostava no ataque, enquanto Vingada tirava avançados e colocava elementos de contenção. Ganhou a experiência do técnico academista, que viu a sua equipa ser eficaz nas poucas oportunidades de que dispôs. Académica. A derrota acaba por não fazer mossa ao Penafiel, a quem continua a bastar uma vitória para se salvar.

Bruno Paixão esteve em plano regular num jogo difícil.

HISTÓRIA

A Académica, também chamada carinhosamente por Briosa, é o mais antigo clube desportivo português. Foi fundada em 1876 por um grupo de estudantes da Universidade de Coimbra, com base no antigo Clube Atlético de Coimbra, de 1861, ou mesmo na antiga Academia Dramática, com estatutos de 1837. O único que pode reivindicar, a par da Académica, a maior antiguidade no associativismo desportivo é o Casa Pia Atlético Clube, que já promovia a prática de desporto desde 1780. Mas falando dos clubes com atletas profissionais que militam hoje na primeira e segundas divisões nacionais a Académica é sem qualquer dúvida o mais antigo clube nacional. Muito popular na cidade de Coimbra e nos meios culturais e académicos nacionais, é um dos clubes com maior historial e tradição no panorama desportivo português. Um dos maiores clubes portugueses em adeptos, logo depois do S. L. Benfica, Sporting Clube de Portugal e F. C. Porto, a Académica sempre esteve imtimamente ligada à Universidade de Coimbra, bem como a todos os estudantes universitários do país, onde era muito querida e sempre apoiada. A Académica sempre teve uma importantissima acção na formação de desportistas, aliando à alta competição desportiva a formação académica e universitária, porcionando aos seus atletas a continuação dos estudos, estando assim o desporto e a vida académica intimamente ligados. Grande escola de jogadores, formou e amadureceu alguns dos futebolistas portugueses mais famosos de todos os tempos, como foram Teófilo Esquível, Augusto da Fonseca, Tibério, José Maria Antunes, Bentes, Augusto Rocha, Alberto Gomes, Capela, Nana, Faustino, Armando Sampaio, Rui Cunha, Gonçalves Isabelinha, Albano Paulo, Filipe dos Santos, Jorge Humberto, Maló, Crispim, Ernesto, Gervásio, Mário Wilson, Torres, Mário Campos, Rui Rodrigues, Victor Campos, Artur Jorge, Toni, Costa, Carlos Xavier, Dimas, Fernando Couto e Hilário. Estes foram apenas alguns dos mais famosos ou mediáticos, muitos outros houve ao longo de muitos anos que suaram a camisola e pelo seu esforço e dedicação honraram a Académica e que merecerão sempre um grande louvor por ter servido esta instituição. O Organismo Autónomo de Futebol reúne apenas as modalidades profissionais da Académica, já que os restantes desportos estão divididos por secções situadas no edíficio da Associação Académica de Coimbra, na Rua António Padre Vieira. O futebol, tal como os restantes desportos profissionais, ou semi-profissionais, está num organismo autónomo devido às exigencias de gestão e direcção de um clube com pretensões sérias a nível de resultados e classificações desportivas. Vista no seu todo, a Académica é o clube português onde é possível practicar o maior número de diferentes modalidades desportivas, organizadas e geridas por estudantes, que o fazem por puro amadorismo e carolice, tornando este clube, com mais de cinco mil praticantes numa instituição de carácter único em Portugal e raro no mundo.