SEMPRE BRIOSA

Briosa... se jogasses no céu, morreria só para te ver jogar!

domingo, 18 de março de 2007

Estivemos perto do pesadelo...



Desportivo das Aves, 2 - Académica, 2

Jogo estranho frente a um concorrente directo na luta pela manutenção.

O golo de Dame, aos 38 minutos, na marcação de um livre directo, deu-nos a vantagem e permitia pensar na conquista dos valiosíssimos 3 pontos. Íamos assim para intervalo com um resultado que até se ajustava à boa resposta que a Briosa deu a um domínio inicial da equipa da casa.

No segundo tempo veio a répica avense e acabámos por estar muito perto do pesadelo: aos 71 minutos o 1-1, aos 77 a expulsão de Alexandre e aos 85 minutos o 2-1 que dava ao marcador uma reviravolta que nos punha em muitos maus lençóis.

Quando a angústia se apoderava da nação académica e o estádio do Aves transbordava de euforia - pudera! - o golinho salvador de Filipe Teixeira - sempre ele! - aos 89 minutos, a responder com um desvio subtil a um cruzamento da esquerda, deu justiça ao marcador e garantiu-nos um pontinho, o qual seria pouco face ao que se passou até aos 71 minutos, mas acabou por ser muito atendendo ao que se passou entre os 71 e os 89.

Não negando esta magia do futebol, em que um jogo pode ter tantas nuances e tamanhas revoravoltas, apenas pergunto: com o plantel que temos, com a experiência da equipa técnica, com as infraestruturas de que agora dispomos e com esta massa associativa dedicada, merecemos estar a passar por tudo isto?

Responda quem souber!

Corações académicos, preparem-se uma vez mais para fortes emoções até final desta edição 2006/07 da primeira liga. Ainda vamos sofrer... e muito. É a nossa sina.

0 comentários:

Enviar um comentário

<< Home