SEMPRE BRIOSA

Briosa... se jogasses no céu, morreria só para te ver jogar!

sábado, 18 de agosto de 2007

Sporting-Académica, 4-1

Relativamente enganador....
O futebol é um desporto fantástico mas também pode ser um universo de equívocos.

O resultado final do jogo desta noite espelha um domínio sportinguista que indubitavelmente existiu mas é claramente exagerado porque se a verdade desportiva tivesse falado mais alto teria sido 3-2 e não 4-1.



Estive em Alvalade, pelo que pude testemunhar bem de perto a estreia da nossa Briosa no campeonato que agora arranca.

Os nossos jogadores entraram em campo com uma postura interessante. Perante um adversário, que talvez seja neste momento a equipa mais poderosa do futebol português, os nossos atletas (pese embora todo o trauma da eliminação às mãos do Fátima) entraram descomplexados, quiseram discutir o jogo, nunca tendo estacionado o autocarro à frente de Pedro Roma.

Ressalve-se que a primeira grande oportunidade de golo, logo aos 12 minutos, foi nossa e saiu dos pés de Lito (boa exibição), o qual se isolou, tendo no entanto rematado muito por cima.

Não fora aquele (bom) golo de Derlei e talvez outro galo tivesse cantado, mesmo que a superioridade leonina tenha sido evidente. A verdade é que até esse momento tinha havido supremacia do Sporting mas nós respondíamos com empenhamento e galhardia, não permitindo grandes veleidades a Liedson & Cª. Aliás, o facto do primeiro golo nascer de um remate de fora da área espelha bem as dificuldades dos da casa para superarem o nosso bloco defensivo.

A partir do 1-0 o Sporting passou a ser mais perigoso, mas mesmo assim, se não tivesse acontecido aquele golo de Liedson a 1 minuto do intervalo, fruto de desatenção da nossa defesa, seguramente que a magra vantagem leonina daria espaço para uma nossa réplica mais interessante nos segundos 45 minutos.

No arranque da segunda parte Manuel Machado colocou mais "ataque" em campo, fazendo entrar N'Doye (????) e Gyano. Perder por 2, 3 ou 4 era indiferente, pelo que havia que arriscar. E foi isso que fez, até porque Joeano não estava em noite sim, sendo assim insuficiente a sua presença no ataque.

Mais uma vez procurámos equilibrar o jogo, o Sporting "mandão" via-se a espaços, tendo sido Tonel, num lance em que houve bastante cerimónia dos nossos homens mais recuados, a dilatar a vantagem. O terceiro golo dos leões aconteceu já com o Hélder Barbosa em campo, o qual rendera o inoperante Joeano, mas é um facto que a entrada do jovem craque deu outra dinâmica e mais ligação ao nosso jogo. Não sei se Barbosa estava fisicamente debilitado mas a verdade é que não entendo porque motivo não fez parte do onze inicial, visto que com ele o nosso futebol ganhou mais organização e criatividade.

A sete minutos do apito final, Gyano fez o golo mais bonito da noite, correspondendo na área a uma bola endossada em profundidade por Cris, e alguns minutos depois só não chegámos ao 3-2 porque Elmano Santos fez questão de ignorar uma falta claríssima de Polga sobre Lito, dentro da grande área do Sporting. Estamos na primeira jornada e já se nota a influência daquelas "decisões" que pesam sempre a favor dos mais poderosos.

Até final nada mais houve de registo excepto uma grande penalidade (ironicamente inexistente), da qual nasceu o 4-1 final.

Vitória (apesar dos equívocos de Elmano Santos) absolutamente justa do Sporting, resultado enganador porque demasiado pesado, e resposta sofrível da Briosa à eliminação de há 1 semana, ainda com a certeza de que isto vai melhorar. Só pode... porque hoje viu-se que ainda falta muita coisa para que possamos fazer um bom campeonato. Com ou sem Manuel Machado!


Estádio José Alvalade, em Lisboa Árbitro: Elmano Santos (AF Madeira)

Sporting

Stojkovic; Abel, Tonel, Polga e Ronny; Miguel Veloso; João Moutinho, Romagnoli (Farnerud, 71 m) e Vukcevic (Yannick, 71 m); Liedson e Derlei (Adrien, 90 m).

Académica

Pedro Roma; Berger (N´Doye, 46 m), Litos, Kaká e Orlando; Tiero, Paulo Sérgio e Cris; Lito, Joeano (Hélder Barbosa, 61 m) e Ivanildo (Gyano, 46 m).

Ao intervalo: 2-0
Golos: 1-0, Derlei (25 m); 2-0, Liedson (44 m); 3-0, Tonel (68 m); 3-1, Gyano (82 m); 4-1, João Moutinho (89 m, de grande penalidade).
Cartão amarelo a Kaká e Pedro Roma.

0 comentários:

Enviar um comentário

<< Home