SEMPRE BRIOSA

Briosa... se jogasses no céu, morreria só para te ver jogar!

sábado, 29 de março de 2008

Um resultado justo



Domingos Paciência:

«Vínhamos para ganhar, não correu bem e complicou as contas. Há que ganhar para somar pontos e sairmos desta zona. Assim, já pensamos no próximo jogo, pois este já é passado.

Para mim, os dois momentos do jogo são a expulsão e o golo logo a seguir. Depois, a jogar contra 11 é complicado. O terceiro golo já apareceu com a nossa equipa descompensada e cansada, quando ainda tentava o empate.

Foi um jogo difícil. A partir do momento em que passámos a jogar com 10, correu-se riscos, jogámos só com três defesas, mais pelas alas para criar ocasiões. Mas não foi fácil porque o Estrela estava com muitos jogadores atrás da linha da bola.

Foi um jogo diferente a partir da expulsão porque a Académica estava melhor até aí. No lance do segundo golo não tenho a certeza que houve posição legal no lance que deu o canto. Mas, a partir daí, com mais um jogador, o Estrela acabou por ser um justo vencedor.»

Etiquetas:

Mais uma derrota...

Estrela da Amadora, 3 - Académica, 1



Estádio José Gomes, na Reboleira
Árbitro: Paulo Costa

ESTRELA DA AMADORA

Nélson; Rui Duarte, Maurício, Hugo Carreira e Hélder Cabral; Celestino (Giancarlo, 62 m), Fernando e Tiago Gomes; Mendonça (Pedro Pereira, 53 m), Anselmo (Vítor Moreno, 75 m) e Mateus.

Suplentes não utilizados: Filipe Mendes, Rui Pedro, Marcelo Goianira e Wagnão.

ACADÉMICA

Pedro Roma; Pedrinho, Orlando, Kaká e Vítor Vinha; Miguel Pedro (Berger, 37 m), Paulo Sérgio, Nuno Piloto (Tiero, 61 m) e Luís Aguiar (Ivanildo, 68 m); Lito e Joeano.

Suplentes não utilizados: Ricardo, Cris, Edgar e Pedro Costa.

Disciplina: cartão amarelo a Paulo Sérgio (51 m), Hugo Carreira (73 m), Rui Duarte (78 m), Lito (90 m); cartão vermelho a Vítor Vinha (26 m).

Marcador: 1-0 por Anselmo (17 m); 1-1 por Lito (20 m); 2-1 por Maurício (31 m); 3-1 por Vítor Moreno (81 m).

Etiquetas:

domingo, 16 de março de 2008

Eleições agitam Briosa



João Francisco Campos está confirmado como o principal rosto da oposição a José Eduardo Simões.
O associado, de 31 anos, entregou durante a tarde de ontem - dia em que o prazo terminava - a lista candidata à Direcção da Académica para o acto eleitoral de 14 de Abril.
Esta lista tem a particularidade de reunir sócios muito jovens e é liderada pelo antigo presidente da claque Mancha Negra, que também foi membro da Comissão de Gestão em Dezembro de 2002.
A lista do actual presidente contará ainda com Paulo Mota Pinto para a liderança da Assembleia Geral, de António Preto para o Conselho Fiscal e de Almeida Santos para o Conselho Académico. Para estes três órgãos, vão também a votos outras listas independentes, comandadas por Campos Coroa (Conselho Académico), Ferreira da Silva (Assembleia Geral) e Américo Santos (Conselho Fiscal).
(JORNAL O JOGO)

Etiquetas:

Para Domingos a luta continua



Domingos Paciência, na análise ao jogo:

«A exibição da equipa é merecida, pena é que não tenha conseguido golos para alcançar a vitória. A luta continua, cada vez faltam menos jogos. Hoje, jogámos para ganhar, mas infelizmente não conseguimos.

Agora, vamos pensar já no próximo para garantir a permanência o mais rapidamente possível.

Nem o Pavlovic sabe se é uma rotura ou uma contractura, portanto vamos esperar para ver.»

Etiquetas:

Nossa falta de eficácia resulta em empate

Académica, 0 - Belenenses, 0



Estádio Cidade de Coimbra
Árbitro: Rui Costa (Porto)

ACADÉMICA

Pedro Roma; Pedrinho, Orlando, Kaká e Vítor Vinha; Pavlovic (Paulo Sérgio, 83 m); Miguel Pedro, Luís Aguiar (Ivanildo, 84 m) e Nuno Piloto; Lito e Edgar (Joeano, 75 m).

Suplentes não utilizados: Rui Nereu, Berger, Tiero e Cris.

BELENENSES

Júlio César; Cândido Costa, Rolando, Hugo Alcântara e Rodrigo Alvim; Silas (Marco Ferreira, 88 m), Ruben Amorim, Gómez e José Pedro; Roncatto (Jankauskas, 74 m) e Weldon (Rafael Bastos, 66 m).

Suplentes não utilizados: Costinha, Edson, Devic e João Paulo Oliveira.

Disciplina: cartão amarelo a Edgar (40 m), Cândido Costa (43 e 60 m), Rafael Bastos (88 m) e Júlio César (90+4 m); cartão vermelho a Cândido Costa por acumulação (60 m)

Etiquetas:

terça-feira, 11 de março de 2008

Maló de Abreu contundente

Maló de Abreu:

«A Académica passou a ser um quintal para José Eduardo Simões. Considero ser um momento muito doloroso e tenho informações de que a Académica está prestes a sofrer uma tempestade, estando perante uma situação gravíssima que a maior parte das pessoas desconhece.

Não vale a pena ganhar as eleições a qualquer preço.

Houve palavras e compromissos que não foram cumpridos. Considero que parti para um jogo que está absolutamente viciado à partida sobretudo quando tínhamos acertado (Maló de Abreu e Almeida Santos) que existiria um jogo limpo e com o mínimo de condições.

Há várias pessoas que podem avançar mesmo não fazendo parte da minha lista. Se João Francisco ou outro Académico quiser avançar apoiarei. Estou disponível para ajudar a Académica, já chega que a o clube esteja nos jornais somente por motivos negativos.»

Etiquetas:

domingo, 9 de março de 2008

Derrota que não deslustra

FC Porto, 1 - Académica, 0



Estádio do Dragão
Árbitro: Cosme Machado (AF Braga).

FC PORTO

Helton, Fucile, Bruno Alves, Pedro Emanuel, Cech, Paulo Assunção, Raul Meireles (Lino, 90m), Lucho, Tarik (Farias, 71m), Lisandro e Quaresma (Mariano, 80m).

Suplentes: Nuno, João Paulo, Kaz e Adriano.

Treinador: Jesualdo Ferreira.

ACADÉMICA

Pedro Roma, Pedro Costa, Orlando, Kaká, Cléber (Lito, 75m), Paulo Sérgio, Tiero (Ivanildo, 46m), Nuno Piloto, Joeano, Cris (Miguel Pedro, 46m) e Luís Aguiar.

Suplentes: Ricardo, Berger, Vítor Vinha e Edgar.

Treinador: Domingos Paciência.

Disciplina: Cartões amarelos para Quaresma (69), Lito (79) e Paulo Assunção (81).

Cartão Vermelho Mariano (90m).

Golos: Quaresma (30m)

Ao intervalo: 1-0

Etiquetas:

FC Porto-Académica

Lista de convocados

Guarda-redes:
Pedro Roma e Ricardo.

Defesas:
Orlando, Kaká, Berger, Pedro Costa, Vítor Vinha e Cléber.

Médios:
Fofana, Nuno Piloto, Paulo Sérgio, Luís Aguiar, Cris, Tiero e Miguel Pedro.

Avançados:
Joeano, Edgar, Lito e Ivanildo.

Etiquetas:

sábado, 8 de março de 2008

Domingos quer Académica à imagem do Schalke



Domingos Paciência, na antevisão do FC Porto-Académica:

«Normalmente, costuma dizer-se que ganhe o melhor. Mas, nesta situação, que ganhe o pior. Já que o Schalke foi pior que o FC Porto e passou. No domingo que ganhe o pior e que o pior seja a Académica.

Para tudo existe uma primeira vez. Normalmente, o FC Porto tem um jogo por ano em que as coisas não correm bem. Esperamos que seja este. No futebol, tudo pode acontecer.

Os jogadores irão dar tudo, jogar de forma organizada e concentrada, para tentar pontuar.

A minha vida profissional como futebolista foi marcada por este clube mas durante os 90 minutos o coração fica de parte, até porque oriento um grupo de jogadores de enorme profissionalismo.»

Etiquetas:

quarta-feira, 5 de março de 2008

Revolta: o sentimento reinante

Luís Agostinho, director desportivo da Briosa:

«O nosso grupo de trabalho sente-se revoltado pelo que aconteceu nos últimos jogos. Não é uma situação normal mas nós mantemos a posição que temos tido desde o início da época: toda a gente comete erros, logo os árbitros também os cometem. Por isso, continuamos a confiar nas pessoas da arbitragem e nos árbitros.

Aliás, é fundamental que essa confiança entre todos os agentes desportivos não se perca, para não se correr o risco de colocar a credibilidade no futebol português em causa.

Agora que estamos a entrar na fase decisiva das competições, gostaríamos que houvesse mais atenção e concentração por forma a que haja menos erros. Sabemos que sempre os haverá, é humano. A aquilo que distingue a competência é a quantidade de erros. Os bons, são aqueles que os cometem menos.

Não está em causa apenas o jogo com o Leixões, são situações que já vêm de trás, mas não nos vão ver a insultar árbitros. Essa não é a forma de estar da Académica.»

Etiquetas:

sábado, 1 de março de 2008

Carlos Xistra roubou-nos dois pontos!!!!!!

Leixões, 2 - Académica, 2



A uma exibição personalizada da Briosa, jogando de uma forma descomplexada num terreno difícil e olhando o adversário nos olhos, contrapôs-se um inenarrável Carlos Xistra que conseguiu despudoramente inventar duas grandes penalidades que nos espoliaram em 2 pontos.

Mesmo a perder de forma injusta por 1-0 a Briosa não deitou a toalha ao chão, procurou sempre ir para cima do adversário, tentou jogar em todo o terreno, espalhando os jogadores pelos vários sectores, trocando bem a bola, tendo sido com inteiro mérito que chegámos à vantagem, em noite de bis para Joeano.

No entanto, tal como acontecera nos últimos jogos, embora em vantagem, não chegámos ao triunfo, mas hoje porque um árbitro fez uma arbitragem vergonhosamente parcial.

Numa altura da época onde se joga com um carácter mais decisivo e onde os vários interesses que rodeiam e investem no futebol se começam a mexer, este tipo de arbitragens vão começar a ser mais frequentes e a 'aldrabar' os resultados dos jogos, como se viu hoje em Matosinhos.

Este futebol português é uma palhaçada que já mete nojo!!!!!!!!!!!!

Um grande abraço para os nossos jogadores, quer pela exibição, quer pela forma como foram cruelmente espoliados no seu esforço.


Estádio do Mar, em Matosinhos
Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco)

LEIXÕES

Beto; Filipe Oliveira, Nuno Silva, Élvis e Ezequias; Bruno China, Paulo Machado e Hugo Morais; Jorge Gonçalves, Roberto e Diogo Valente

Suplentes: Jorge Baptista, Joel, Pedro Cervantes, Vieirinha, Castanheira, João Moreira e Jorge Duarte

Treinador: Carlos Brito

ACADÉMICA

Pedro Roma; Pedrinho, Orlando, Kaká e Vítor Vinha (Cléber); Paulo Sérgio, Cris, Nuno Piloto e Tiero; Luís Aguiar (Edgar) e Joeano (Miguel Pedro)

Suplentes não utilizados: Rui Nereu, Berger, Ivanildo e Lito

Treinador: Domingos Paciência

Golos: 1-0 Roberto 1-1 Joeano 1-2 Joeano 2-2 Jorge Gonçalves




A análise de Domingos ao jogo:

«No segundo lance não vou estar a dizer se é penalty. É um lance de bola parada, há agarrões, o que é normal. Mas no primeiro lance dá-me a sensação que não penalty.

Saímos tristes porque situações como esta têm acontecido. E empatar desta forma... Pelo que fizemos, se tivesse havido um vencedor tinha sido a Académica.

Não posso dizer se o segundo penalty é ou não. É muito fácil para um árbitro nestas situações marcar penalty e arranjar faltas e livres laterais que obrigam uma equipa a recuar. Não vou estar com a certeza de que não é penalty, mas vou ver.

A equipa do Leixões é diferente. A estratégia para este jogo estava a surtir efeito. Qualquer jogador do meu plantel tem de estar disponível, como tocou ao Luís Aguiar ou ao Joeano. Jogaram estes, mas com o Porto não quer dizer que não joguem outros.

O empate não é um mal menor. São três jogos seguidos estando a ganhar e a perder nos últimos instantes. Os jogadores têm uma atitude fantástica e, no fim do jogo, há sempre qualquer coisa que deita a perder o trabalho brioso.»

Etiquetas: