SEMPRE BRIOSA

Briosa... se jogasses no céu, morreria só para te ver jogar!

terça-feira, 11 de agosto de 2009

ALGO MAIS, SIM, MAS COM A DEVIDA SOLIDEZ

Tenho lido na blogosfera afecta à nossa Briosa algumas opiniões relativas à assunção de que podemos ambicionar para a temporada que agora se inicia um lugar que nos dê a qualificação para as competições europeias.

Não querendo embarcar no discurso do modesto coitadinho, e muito menos atacar quem debita uma saudável ambição de querer algo mais para as nossas cores, no entanto parece-me mais prudente abordarmos a nova época com realismo, sensatez e equilíbrio.

É um facto inegável que a Briosa tem consolidado nos últimos anos a sua presença na liga maior do futebol português, claramente tem legitimado o seu lugar entre os clubes mais representativos e históricos cá do burgo, mas... vamos com calma!

Sendo um facto que orçamentos não ganham campeonatos, e para isso basta recorrer ao exemplo do FC Porto campeão europeu em 2005 - onde bateu o pé a clubes com orçamentos bem superiores - a verdade é que temos limitações económico-financeiras e os tempos não estão nada de feição a grandes aventureirismos.

Terminámos a última época num brioso sétimo lugar, mas...

1. o plantel sobreu bastantes alterações;
2. temos muitos jovens a darem os primeiros passos num futebol mais exigente e competitivo;
3. o treinador é novo, necessitando de alicerçar os seus métodos e de os transmitir à equipa.
4. a massa associativa carece de maior mobilização.

Por tudo isto, e porque não creio que seja avisado 'dar um passo maior do que perna', prefiro ouvir um discurso de grande realismo para o imediato, mas não perdendo de vista que a médio e longo-prazo será incontornável - uma vez cimentada a nossa presença na primeira liga - que este maravilhoso emblema, esta massa associativa e adepta e a enorme História desta Instituição merecerão, e deverão exigir, algo mais.

Para já, aconselha o bom-senso que se vá construindo um caminho sólido, fundado na aposta em jovens valores oriundos da formação cirurgicamente lançados num plantel mesclado com futebolistas experientes, sob a batuta de técnicos competentes e sérios, apoiados por figuras de referência do clube, como por exemplo Pedro Roma.

Não nos esqueçamos que 'quanto maior é a subida, maior é a queda', sobretudo quando esse trajecto é feito sem a devida solidez.


Nuno A.

Etiquetas:

0 comentários:

Enviar um comentário

<< Home