SEMPRE BRIOSA

Briosa... se jogasses no céu, morreria só para te ver jogar!

domingo, 31 de janeiro de 2010

ERROS DE DESCONCENTRAÇÃO FORAM FATAIS



André Villas Boas, após tão amarga derrota:

«Ao intervalo o discurso foi, se calhar como o do Ulisses aos Paços: necessidade de manter a motivação e concentração. Houve erro na desconcentração. Fomos a melhor equipa. Desconcentrámo-nos e isso penalizou-nos.

O mercado de transferências ainda está aberto mas isso não é o que mais me preocupa. O que me preocupa é levantar o ânimo dos jogadores. Há que levantar a cabeça»


Nuno A.

Etiquetas:

INACREDITÁVEL. TIVEMOS O PÁSSARO NA MÃO...

Paços de Ferreira - Académica, 2-1



Estádio da Mata Real
Árbitro: Bruno Esteves

PAÇOS DE FERREIRA

Cássio; Baiano, Ozeia, Ricardo e Jorginho; Leonel Olímpio, Filipe Anunciação e Livramento; Manuel José, William e Maykon.

Suplentes: Coelho, Kelly, André Leão, Pizzi, Bruno Di Paula, Carlitos e Romeu Torres.

ACADÉMICA

Rui Nereu; Pedrinho, Markus Berger, Orlando e Emídio Rafael; Cris (Nuno Coelho), Paulo Sérgio (André Fontes) e William Tiero; Sougou (Lito), Vouhou e João Ribeiro.

Suplentes não utilizados: Ricardo, Pedro Costa, Luiz Nunes e Miguel Fidalgo.

Golo: 0-1 Markus Berger 48', 1-1 Ricardo 84', 2-1 Romeu Torres 90+3'


Nuno A.

Etiquetas:

sábado, 30 de janeiro de 2010

PAÇOS DE FERREIRA-ACADÉMICA

Lista de convocados

Guarda-redes:
Ricardo e Rui Nereu;

Defesas:
Pedrinho, Pedro Costa, Berger, Luiz Nunes, Orlando, Hélder Cabral e Emídio Rafael;

Médios:
Nuno Coelho, Paulo Sérgio, André Fontes, Cris e Tiero;

Avançados:
Sougou, Lito, Vouho, Miguel Fidalgo e João Ribeiro.


Nuno A.

Etiquetas:

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

UM EXEMPLO A SEGUIR



André Villas Boas:

«Não se pode descurar o exemplo Académica. Portugal foi quem mais investiu neste mercado, no entanto a nossa realidade não é tão saudável como a de outros campeonatos europeus. Poderemos ser exemplo ou não mas só no final.

Se calhar há quem queira vir para cá, mas, se calhar, há quem não queria sair. É legitimo que os que cá estão ambicionem jogar mais aqui. Surgiram oportunidades de negócio, mas a qualidade que temos também me satisfaz. Vamos ver até segunda, mas, em princípio, não se esperam novidades.

A equipa é demasiado equilibrada, tem demasiada gente para todas as posições.

Vamos encontrá-los (Paços de Ferreira) um pouco como encontrámos a Naval, que estava acima de nós na tabela, enquanto o Paços está em igualdade. Será um jogo extremamente difícil e competitivo. Queremos ir disputar os três pontos e com o pensamento na vitória fora. Temos o referencial do triunfo com o Leixões, além do empate sofrido no último minuto em Leiria e os três golos marcados na Madeira. Por tudo isso, parece-me que podemos ambicionar a ganhar fora pela primeira vez para o Campeonato.


O Paços está moralizado e é mais uma daquelas equipas que sofreu uma alteração de treinador, que, neste caso, se traduziu na continuação do sucesso do anterior».


Nuno A.

Etiquetas:

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

BRIOSA VAI AO DRAGÃO

O sorteio das meias-finais da Taça da Liga (Carlsberg Cup) ditou que vamos jogar ao Dragão no próximo dia 10 de Fevereiro, enquanto Sporting e Benfica se defrontam em Alvalade.

O sonho comanda a vida: vamos acreditar que a Briosa vai contornar este difícil obstáculo e marcar presença na final.

Força, Briosa!!!!!!!!


Nuno A.

Etiquetas:

domingo, 24 de janeiro de 2010

BRIOSA GARANTE LUGAR NAS MEIAS-FINAIS!

Carlsberg Cup:

Leixões - Académica, 0-1 (Sougou, '63)



Agora venha a deslocação ao reduto de um dos grandes, FC Porto ou Sporting, porque nas meias-finais da Carlsberg Cup (Taça da Liga) estão os quatro 'grandes' do futebol português!

O sorteio ainda não tem data marcada, mas os jogos das meias-finais estão marcados para 10 de Fevereiro.

Parabéns aos nossos jogadores e equipa técnica.

Muito bem, Briosa!


Nuno A.

Etiquetas:

sábado, 23 de janeiro de 2010

LEIXÕES-ACADÉMICA

Lista de convocados

Guarda-redes:
Ricardo e Barroca;

Defesas:
Pedro Costa, Berger, Amoreirinha, Orlando, Hélder Cabral e Emídio Rafael;

Médios:
Nuno Coelho, Paulo Sérgio, André Fontes, Cris e Diogo Gomes;

Avançados:
Sougou, Licá, Vouho, Amessan e João Ribeiro.


Nuno A.

Etiquetas:

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

OBJECTIVO: MEIAS-FINAIS DA TAÇA DA LIGA



André Villas Boas:

«Era extremamente gratificante conseguir atingir esse objectivo (passagem às meias-finais da Taça da Liga), fruto de um trabalho bom que temos realizado. Infelizmente ainda não conseguimos ganhar fora, dai que seria importante uma vitória fora e seguir em frente na Taça da Liga.

Espero que a dedicação e esforço sejam consentâneos com esse sonho. Para isso, será preciso rendimento e concentração ao máximo e pensar que poucas oportunidades surgem como esta.

Não me posso preocupar com o resultado do Estoril-F.C. Porto. Para nós, o melhor é ganhar. Todos os outros resultados deixam-nos condicionados aos regulamentos. Em caso de empate, entram todos os grupos e uma série de factores. A forma mais fácil de perceber isto é: a vitória garante qualificação, daí que queiramos concentramo-nos nesse objectivo.

O objectivo é sempre a vitória mas os nossos fundamentos também se mantêm porque me interessa perceber quem pode ameaçar quem, quem tem direito a jogar e a que nível estão os jogadores que podem destronar os habituais titulares.


Continuo a ter 28 jogadores e o mercado não está fácil. Há adaptações no plantel que posso fazer para incluir novos elementos mas, para acrescentar, tem que ser um jogador que traga muita qualidade e garantias. Temos alvos preferências definido, uns mais ao nosso alcance, outros menos, à mínima oportunidade iremos ao mercado desde que tenhamos disponibilidade, porque temos um orçamento a limitar-nos.

Neste momento, a Académica é a única que não se reforçou e não vou ao mercado só pela desculpa de não deixar passar a oportunidade ou porque outros também foram».


Nuno A.

Etiquetas:

domingo, 17 de janeiro de 2010

LUCÍLIO BAPTISTA HABILIDOSAMENTE RESOLVE...

Académica - Sp. Braga, 0-2



Estádio Cidade de Coimbra
Árbitro Lucílio Baptista (Setúbal)

ACADÉMICA

Rui Nereu; Pedrinho, Berger, Orlando e Emídio Rafael (João Ribeiro, 76m); Nuno Coelho, Cris (Miguel Fidalgo, 59m) e Tiero; Sougou, Licá e Lito (Hélder Cabral, 63m).

SP. BRAGA

Eduardo; Filipe Oliveira, Moisés, Leone e Evaldo; Vandinho e Hugo Viana; Alan, Mossoró (Miguel Garcia, 81m) e Paulo César; Meyong (Matheus, 61m).

Ao intervalo: 0-1

Marcador: 0-1 Meyong (41 g.p.); 0-2 Mateus (90).

Acção disciplinar: Cartão amarelo a Sougou, Paulo César, Pedrinho, Mossoró. Vermelho a Rui Nereu.


Nuno A.

Etiquetas:

sábado, 16 de janeiro de 2010

ACADÉMICA-SP. BRAGA

Lista de convocados

Guarda-redes:
Rui Nereu e Barroca;

Defesas:
Pedrinho, Pedro Costa, Berger, Amoreirinha, Orlando, Hélder Cabral e Emídio Rafael;

Médios:
Nuno Coelho, Paulo Sérgio, Tiero, Cris e Diogo Gomes;

Avançados:
Sougou, Licá, Lito, Miguel Fidalgo e João Ribeiro.


Nuno A.

Etiquetas:

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

NULO EM JOGO MONÓTONO

Académica - FC Porto, 0-0



Estádio Cidade de Coimbra
Arbitragem de João Ferreira

ACADÉMICA

Rui Nereu; Pedro Costa, Berger, Orlando e Emídio Rafael; Paulo Sérgio, Tiero e Diogo Gomes; Sougou, João Ribeiro e Licá.

Suplentes: Barroca, Hélder Cabral, Luiz Nunes, Pedrinho, Amaury Bischoff, André Fontes e Miguel Fidalgo.

FC PORTO

Nuno; Miguel Lopes, Nuno André Coelho, Maicon e Fucile; Prediger, Guarín, Tomás Costa e Valeri; Farias e Mariano.

Suplentes: Beto, Sérgio Oliveira, Orlando Sá, Alex, Dias, Abdoulaye e Yero.

Acção disciplinar: Amarelo para Emídio Rafael (22).


Nuno A.

Etiquetas:

domingo, 10 de janeiro de 2010

ANO NOVO DA BRIOSA RIMA COM VITÓRIAS

Académica - Naval, 2-0



Estádio Finibanco Cidade de Coimbra
Árbitro: Jorge Sousa (AF Porto)

ACADÉMICA

Rui Nereu; Pedrinho, Berger, Orlando e Emídio Rafael; Nuno Coelho, Cris (Paulo Sérgio) e Tiero; Sougou, Miguel Fidalgo (Licá) e Lito (João Ribeiro).

Suplentes não utilizados: Barroca, Pedro Costa, Amoreirinha e Diogo Gomes.

NAVAL

Peiser; Carlitos, João Real, Diego Ângelo e Camora; Godemèche, Hauw e Baradji; Michel Simplício, Bolívia e Marinho.

Suplentes: Jorge Batista, Gomis, Zé Mário, Daniel Cruz Davide, Ouattara e Kerrouche.

Golos: 1-0 Lito, 2-0 Sougou


Nuno A.

Etiquetas:

sábado, 9 de janeiro de 2010

ACADÉMICA-NAVAL

Lista de convocados

Guarda-redes:
Rui Nereu e Barroca.

Defesas:
Pedrinho, Pedro Costa, Amoreirinha, Berger, Orlando e Emídio Rafael.

Médios:
Paulo Sérgio, Cris, André Fontes, Nuno Coelho, Tiero e Diogo Gomes.

Avançados:
Lito, Miguel Fidalgo, Licá, Sougou e João Ribeiro


Nuno A.

Etiquetas:

domingo, 3 de janeiro de 2010

COMEÇAR O ANO A VENCER

Académica - Estoril, 2-1



Estádio Finibanco Cidade de Coimbra
Árbitro: João Capela ( Lisboa )

ACADÉMICA

Rui Nereu; Pedro Costa, Berger, Orlando e Hélder Cabral; Nuno Coelho, Cris e Diogo Gomes (Bru); Lito, Éder (Licá) e João Ribeiro (Emídio Rafael).

Suplentes não utilizados: Rui Nereu, Luiz Nunes, Emídio Rafael, Bru, Bischoff e Miguel Fidalgo.

ESTORIL

Leão; Marco Silva, Jardel, Manuel Curto e Luiz Alberto, Ismaily; Lulinha, Varela; João Coimbra e Raphael; Antchouet.

Suplentes: Paulo Santos, Euzébio, Tiago Conceição, Arthur, Bruno Matias, Joãozinho e Rodrigo Hote.

Golos: 1-0 Éder, 2-0 Lito, 2-1 Antchouet


Nuno A.

Etiquetas:

sábado, 2 de janeiro de 2010

"COMPARAÇÃO QUE ME HÁ-DE SEMPRE PERSEGUIR..."


Pertence à nova vaga dos treinadores portugueses. Anos a fio fiel escudeiro de José Mourinho, no FC Porto, no Chelsea, no Inter, a carta de alforria de André Villas-Boas e a aposta como técnico principal da Académica de Coimbra, em Outubro, não gerou indiferença. Pelo contrário, até o envolveu como hipótese de substituir Paulo Bento no Sporting.

Razões bastantes para a sua primeira grande entrevista, agendada há várias semanas. Num compromisso escrupulosamente cumprido agora, André Villas-Boas revela objectivos, concepções de futebol, princípios dos quais não abdica.

Provocação logo a abrir: fez um longo "estágio" com José Mourinho. Tardou a chegar agora à emancipação...

Estágio não é a palavra certa, penso. Para uma profissão atractiva, pode estar implícita a aposta cega no cargo de treinador principal - e não foi o que fiz. Quando fui convidado pelo José Mourinho para integrar a sua equipa técnica sabia exactamente para que funções e tentei sempre desempenhá-las com a máxima eficácia.


O desejo de emancipação é legítimo. A verdade é que se dizia há muito tempo que estava a preparar-se para "dar o salto"…

Sim, mas não queria que fosse mal interpretado. Nunca escondi de ninguém o meu sonho - muito menos de Mourinho. No período em que estive ao seu lado sempre lhe fui cem por cento leal e sempre mantivemos uma relação aberta. O timing que ambos decidimos para a minha saída foi comunicado com algum tempo de antecedência, de tal modo que ele se acautelou com a entrada de um elemento [José Morais] para a sua equipa técnica que começasse a garantir a qualidade de trabalho de que ele necessita e pretende.
Agora: obviamente tive a oportunidade de trabalhar com aquele que eu penso ser o melhor treinador do mundo - conceito que na minha opinião valoriza a frequência com que se ganha.


O melhor do mundo define-se pelos resultados, é isso?

Na minha óptica, sim. Mas não só. Também pela capacidade de obter resultados em vários sítios. Não tenho a menor dúvida de que após o período de Itália ele sairá para Espanha ou para Inglaterra e continuará a ter o sucesso que tem tido e teve antes em Portugal e na própria Inglaterra. A frequência com que José Mourinho ganha é invulgar; torna-o de facto único.


A vossa relação continua intensa? Normal?

Sim, sim. E é uma relação que me permite agora entender muitas coisas que antes não percebia nele, desde reacções a insatisfações, momentos de angústia. Há tantas coisas boas nesta profissão, não obstante o peso da responsabilidade, que só mesmo estando-se nela é possível perceber uma série de reacções que o José Mourinho tinha para connosco - e tenho pena de só ser capaz de entender agora.
Por exemplo: as vivências vitória-derrota, a adrenalina de uma semana de trabalho, a ânsia antes e pós jogo, o modo como influi na nossa vida o que se passa ao longo da semana, tudo isso tem um peso nas nossas vidas. Esta é, sem dúvida, uma profissão bastante exigente.


Há um facto incontroverso: pelo perfil genético, pelo modo como se apresenta, é visto como um clone de Mourinho. É um clone?

Acho que não. Mas estou seguro de que essa comparação vai perseguir-me o resto da minha vida. Tenho uma personalidade completamente diferente da de Mourinho, embora, obviamente, queira vencer, construir o meu sucesso. Sou uma pessoa mais tranquila, de assentar mais nos projectos. Aprecio muitas outras coisas na vida para além do futebol. O facto de não viver só para o futebol tem um peso importante na minha vida.
Estarei talhado para ser visto como um clone, o que refuto, até porque estou seguro de que Mourinho continuará a acumular uma quantidade de sucessos de que não me aproximarei nunca. Estou longe de pensar em ganhar o número de títulos que ele já ganhou.
Espero ser um bom treinador e capaz de construir uma carreira que venha a ser apreciada. Mas não viverei este cargo com ambição desmesurada. Prefiro ter os pés bens assentes na terra e construir um futuro passo a passo, apreciando cada uma das etapas.


Nuno A.

Etiquetas:

IMPÔR O JOGO VISANDO AS MEIAS-FINAIS



André Villas Boas, em declarações reproduzidas na BOLA:

«Dá-me prazer termos lutado pela melhoria de um regulamento de uma competição profissional. É algo de que nos orgulhamos. Dá-me também prazer não ser agora chamado incompetente como me chamaram por não ter sido capaz de prever a entrada de um miúdo de 19 anos do Portimonense.

Portanto, há um certo regozijo da nossa parte pelo facto de nos terem dado razão. O Estoril é uma equipa em transformação, que subiu na tabela desde que entrou o Prof. Neca, que é uma pessoa que aprecio bastante.

Quero que os jogadores sintam a responsabilidade perante equipas da Segunda Liga. Temos de estar confortáveis, responsáveis e com vontade de impor o nosso jogo e resolvê-lo o mais rápido possível.


Não é impossível chegar às meias-finais da prova, apesar de fazer alguns testes e ver jogadores que têm sido menos utilizados».


Nuno A.

Etiquetas: